Home » Notícias » Atenção: prevenção e combate à hipertensão

Atenção: prevenção e combate à hipertensão

Hipertensao_Blog

No dia 26 de abril é comemorado o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial e, infelizmente, segundo vários estudos e dados estatísticos, grande parte da população brasileira é hipertensa e afeta – principalmente – os adultos com mais de 20 anos.

É muito importante então, não só nesta data, entender que quem sofre de hipertensão arterial terá que fazer seu controle por toda a vida, visto que, na grande maioria dessas pessoas (95%), não se consegue descobrir sua causa. De todos esses casos, felizmente, a grande maioria (90%) apresentará hipertensão leve, ou seja, fácil de controlar e tratar, mas – mesmo assim – não pode se descuidar! Por isso, o Movimento pela Moradia alerta e esclarece o assunto.

A pressão arterial é a força que o sangue exerce na parede das artérias, quando essa força está aumentada, as artérias oferecem resistência para a passagem do sangue sendo denominada Hipertensão Arterial. Ela acontece quando os valores das pressões máxima e mínima são iguais ou ultrapassam os 140/90 mmHg (ou 14 por 9).

Os fatores de risco para Hipertensão Arterial são:

• Hábitos alimentares irregulares, como o elevado consumo de sal e produtos industrializados;
• Sobrepeso e obesidade que aceleraram em até 10 anos o aparecimento da hipertensão nos indivíduos;
• Tabagismo;
• Hereditariedade: quem tem o pai ou a mãe com hipertensão tem 30% de chances de se tornar hipertenso. Se a herança é bilateral, o risco da hipertensão aumenta para até 50%. Então, cheque com seus familiares. Neste caso, quem é filho de hipertenso deve fazer avaliações médicas periódicas, ou seja, com maior frequência;
• Diabetes;
• Envelhecimento.

E o que acontece? Quando a pressão está continuamente aumentada, alguns órgãos importantes como o coração, o cérebro, os rins, os olhos e as próprias artérias, entre outros, sofrem maior desgaste e podem surgir doenças.

Quando a pressão está acima de 14 por 9, médicos diagnosticam a hipertensão arterial. Valores entre 12 por 8 e 14 por 9, por exemplo, são chamados de pré-hipertensão ou pressão limítrofe, já requerendo cuidados como controle do peso e do estresse, redução do sal na alimentação, abandono do sedentarismo e, em muitos casos, uso de medicamentos.

Sintomas e precauções a serem levados em consideração

Sintomas como dor de cabeça, dor na nuca, enjoos, tonturas e falta de ar podem estar associados à hipertensão, mas não são específicos da doença. Muitas vezes, os sintomas surgem quando a hipertensão já causou danos aos órgãos. Por isso, é importante tratar a hipertensão mesmo sem sintomas. O exercício físico faz parte do tratamento da hipertensão.

Os melhores exercícios são os aeróbios como caminhados, corridas, ciclismo ou natação. A intensidade do treinamento deve ser orientada individualmente. O importante é acumular pelo menos 30 minutos de exercícios ao dia!
Confira mais recomendações do Instituto Nacional de Cardiologia (INC):

• Pratique exercícios físicos com orientação médica. A atividade deve ser realizada por 40 minutos, cinco vezes por semana. Intercalar pequenas corridas com caminhadas, fazer hidroginástica ou utilizar esteira e bicicleta ergométricas auxiliam na melhora do condicionamento físico. Hipertensos podem se exercitar desde que apresentem exames clínicos, eletrocardiogramas, testes ergométricos e exames de sangue atualizados;
•Mantenha o organismo hidratado. Além de água, beba sucos naturais e água de coco;
• Cuide da alimentação. Receitas simples, como saladas e pratos leves, não aumentam o colesterol e são fáceis de ser preparadas em casa. Alguns alimentos liberados: queijo minas, peito de peru, requeijão light, ricota, passas, cenoura, beterraba, damasco, salsa, cebolinha, alho, abacaxi, melancia, melão, pêra, maçã, tangerina e castanhas;
• Somente faça dietas com acompanhamento nutricional. Desconfie de regimes milagrosos que prometem perda de peso em poucos dias. Além de não ser um hábito saudável, fechar a boca enfraquece o organismo e pode provocar hipoglicemia, ou seja, perda de açúcar no sangue.
• Aprenda a controlar o estresse. Caminhadas diárias de no mínimo 30 minutos podem virar boas aliadas.

Cuide da saúde, faça exames preventivos e mude seus hábitos hoje mesmo. Não espere ter o diagnóstico para se mexer.
O Movimento pela Moradia quer você e sua família saudáveis para que continuem lutando com perseverança e disposição pelo sonho da sua casa própria.

Deixe uma resposta

Rolar para o topo