Home » Notícias » Dicas » Febre: dengue, zika, chikungunya ou gripe A (H1N1)? Descubra!

Febre: dengue, zika, chikungunya ou gripe A (H1N1)? Descubra!

Febre: dengue, zika, chikungunya ou gripe A (H1N1)? Febre, desconforto, sensação de desconfortos e mal estar no geral podem ser muitas coisas – tendo em vista a epidemia de doenças que, infelizmente, está percorrendo pelo sudeste e em todo o país. O pior é que não adianta só tomar um antitérmico, melhorar um pouco e a febre voltar, não é mesmo? Depois, os sintomas podem piorar!
Na hora vem a dúvida: o quê será? A questão é imediata: será gripe ou umas destas viroses como dengue, zika ou chikungunya? Como saber diferenciar e o que fazer para esclarecer? Quais providências tomar? Quais exames estão indicados? O Movimento pela Moradia se preocupa com o assunto e, por isso, a redação aborda o tema para os seus leitores.
Gripe (novamente à vista)
Neste outono, mais um vírus passa a circular pelos ares contaminando e matando pessoas: o vírus da gripe A (H1N1), também conhecida como gripe suína. Os números de casos e de óbitos este ano, nesta época, já superou em muito os do ano passado. Tanto que o governo cogita em antecipar a campanha de vacinação.

A diferença maior entre este vírus e os da dengue, zika e chikungunya, no que se refere à transmissão, é que o da gripe circula sozinho pelos ares, passando diretamente da pessoa portadora para a pessoa susceptível pelo próprio ar ou por secreções contaminadas. Os outros vírus em geral “voam” instalados no organismo mosquito vetor e transmissor, o Aedes aegypti.

Os sintomas gerais de todas estas viroses são muito semelhantes, principalmente no início: febre, que pode ser alta, dor de cabeça, dores pelo corpo, muito cansaço, sonolência, inapetência, dor nos olhos, sensação de congestão, náuseas, vômitos e dores nas articulações. Veja a imagem abaixo da Organização Mundial da Saúde para diferenciar, primeiramente, os tipos de gripe:

92c4ef3e-1e15-4721-b0bc-318b9666f429
No entanto, estas viroses , gripes e resfriados têm, além destes sintomas comuns, particularidades clínicas específicas, muitas vezes difíceis para diferenciar, que se caracterizam conforme a seguir:

– Gripe A H1N1: os sintomas de congestão são mais expressivos como congestão e coriza nasal, que pode ser clara ou purulenta, espirros, tosse seca ou com catarro e muita dor de garganta. Pode ocorrer também dor de ouvido. A dor de cabeça é muito comum, especialmente quando a movimentamos.

– Dengue: na dengue os sintomas congestivos são menos expressivos. Quase não há coriza nem tosse. Mas há muita dor de cabeça e uma dor característica atrás dos olhos. Predominam a intensa sensação de cansaço e as dores pelo corpo todo. Podem surgir manchas vermelhas leves pelo corpo.

– Dengue hemorrágica: o quadro é bem mais intenso. Predominam a sensação de desconforto e os sinais de sangramento. O nariz, a boca e as gengivas podem sangrar. Podem surgir manchas roxas pelo corpo. Pode ocorrer uma dor abdominal muito forte, contínua, que não melhora com nada. A pele fica fria e pálida.

– Zika: de todas é a que tem sintomas mais leves na fase aguda. Tanto assim que pode passar despercebida, apenas como um quadro de desconforto sutil. Há poucos sintomas de congestão nasal, tosse ou dor de garganta. As machinhas vermelhas espalhadas pelo corpo são bastante características. Estas manchinhas podem coçar, assemelhando-se a uma alergia. Os olhos também podem ficar vermelhos e coçar um pouco.

– Chikungunya: os sintomas congestivos, como a dengue e a zika, são menos predominantes. As dores articulares é que são mais características. Acometem principalmente as articulações dos pés, tornozelos e pulsos. Além da dor, as articulações podem ficar inchadas e vermelhas. Estes sintomas articulares podem durar semanas ou meses.

Os exames diagnósticos gerais podem ser pedidos pelo médico na suspeita de uma destas viroses. Um hemograma é sempre recomendável, pois indica se há ou não anemia. Mostra também o número de leucócitos – nossos glóbulos brancos- indicando-nos a situação de nossa defesa. Importantíssimo observar a contagem das plaquetas, que são responsáveis pela coagulação do sangue; o que é de extrema importância na suspeita de dengue hemorrágica.

Os exames específicos podem também ser pedidos, dependendo da situação clínica de cada paciente. Por isso, na presença destes sintomas, recomenda-se uma avaliação médica bem completa.
A gripe é a única destas viroses para a qual, além do tratamento geral, há terapêutica antiviral específica, indicada em alguns casos. Para as outras viroses, o tratamento é de suporte e controle dos sintomas – o que também é essencial para salvar vidas, especialmente quando indicado a tempo.
A maior parte dessas informações é do Bem Estar, no G1 – marque um médico.
Cuide-se, pois a prevenção é (e sempre será) o melhor remédio!

Deixe uma resposta

Rolar para o topo