Home » Notícias » Movimento pela Moradia apoia e concorda com Ato Público contra o autoritarismo

Movimento pela Moradia apoia e concorda com Ato Público contra o autoritarismo

Movimento pela Moradia apoia e concorda com Ato Público contra o autoritarismo

Cerca de 200 pessoas, entre acadêmicos, advogados, juristas, defensores públicos, estudantes e representantes de entidades de classe reuniram-se no último dia 18 de agosto na Sala dos Estudantes da Faculdade de Direito da USP (Largo São Francisco) no ato público “Não ao Autoritarismo – Em Defesa do Estado Democrático de Direito”.

Organizado pelo Instituto de Defesa do Direito de Defesa, com o apoio do Instituto Sou da Paz e outras entidades, o evento fez eco à indignação contra o avanço do autoritarismo e o desrespeito a direitos e garantias fundamentais. Nós, do Movimento pela Moradia, apoiamos e concordamos com o ato em questão.

Segundo Ivan Marques, diretor executivo do Instituto Sou da Paz, a sanha autoritária e punitivista que vem movendo não só o poder judiciário, mas também o legislativo se alimenta do medo da sociedade. “Não podemos admitir que o estado democrático de direito seja esmagado para que oportunismos firam de morte nossas conquistas civilizatórias, como o ECA ou a Política Nacional de Controle de Armas”, afirmou durante a ocasião em questão.
Ao final do Ato, o Conselheiro do IDDD, Luiz Fernando Sá e Souza Pacheco, leu manifesto subscrito pelas entidades participantes, que será encaminhado aos chefes dos Poderes Executivo, Judiciário e Legislativo. Confira abaixo o texto, na íntegra, publicado pelo site Sou da Paz em 24 de agosto:

MANIFESTO: Não ao Autoritarismo – Em Defesa do Estado Democrático de DireitoWatch Full Movie Online Streaming Online and Download

O país mergulhou nos últimos meses em uma onda punitivista perigosa, alimentada diariamente pelo discurso do ódio, que se aproveita do clamor gerado por causas de repercussão para emplacar a aprovação da

chamada legislação de pânico, altamente ameaçadora aos pilares democráticos do Estado de Direito.

Assim é que se defende a redução da maioridade penal; prisões decorrentes de julgamentos em primeira instância; o uso de provas ilícitas; prisões preventivas ilegais, muitas vezes utilizadas como forma de pressão para forçar delações premiadas; a criminalização de movimentos sociais pacíficos; o uso de interceptações ilegais; o desrespeito absoluto à presunção de inocência.
Não percebem os defensores dessas medidas que o direito penal e processual penal – seja por meio da criação de novos crimes, seja pelo aumento de pena e recrudescimento das regras para seu cumprimento, seja pela redução da idade de imputabilidade penal, seja pela flexibilização de regras e garantias fundamentais – não são instrumentos hábeis para lidar com a grave situação em que se encontra o Brasil.

Verdadeira pirotecnia legislativa que está em curso, além de servir aos interesses políticos de poucos, contribui para aumentar ainda mais a alarmante população carcerária brasileira, que já atingiu a marca dos 607.731 mil presos, dos quais 41% (250.213) são provisórios, em demonstração inequívoca do menoscabo que se faz a direitos fundamentais do cidadão, como a presunção de inocência.

Não se combate a criminalidade – seja ela de que ordem for – com panaceia legislativa; menos eficaz e mais ilegal ainda é o desrespeito à legislação em vigor, imaginando-se que os fins justificam os meios. Para resgatar níveis aceitáveis de segurança pública e combater crimes mais recorrentes, o país precisa de instituições sólidas, investigações e processos criminais conduzidos dentro das normas constitucionais, juízes imparciais, policiais comprometidos com investigações lícitas e promotores públicos que exerçam a acusação com serenidade.

Sobre a corrupção – o crime do momento, mas que nos aflige há séculos – não é novidade que quanto maior o quociente de arbítrio entregue ao detentor do poder, maiores as chances de se alastrar. Assim, a legalidade e o respeito aos direitos e garantias fundamentais não são adversários da nossa evolução civilizatória, como falsamente se tem professado; são justamente o oposto, aliados da sociedade no combate a este e outros males que nos assolam.

O momento exige reação a slogans como o de que há de haver uma “refundação da república”, ou outros que sugerem os direitos e garantias fundamentais do cidadão como um obstáculo à construção de uma sociedade mais justa.

Transcorrida mais de uma década do lançamento do Movimento Antiterror, não poderiam ser mais atuais as palavras de seu manifesto: seguimos assistindo “ao espetáculo político do vendaval repressivo – fadado ao fracasso, porém capaz de estimular mais violência e de eliminar do horizonte conquistas civis inestimáveis”.

Reafirmemos novamente a frase ecoada nesta mesma Faculdade de Direito do Largo de São Francisco no ano de 2003: “É possível ser duro com a criminalidade e radical na preservação de direitos e garantias individuais”.

É o que defendem as organizações da sociedade civil, entidades de classe, centros acadêmicos e pessoas físicas abaixo assinadas, entre outras:

• Associação dos Advogados de São Paulo
• Associação Paulista de Defensores Públicos
• Centro Acadêmico XI de Agosto
• Defensoria Pública da União
• Instituto Brasileiro de Ciências Criminais
• Instituto de Defesa do Direito de Defesa
• Instituto dos Advogados Brasileiros
• Instituto Pro Bono
• Instituto Sou da Paz
• Instituto Transdisciplinar de Estudos Criminais
• Movimento de Defesa da Advocacia
• Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo
• Ouvidoria-Geral da Defensoria Pública do Estado de São Paulo
• David Teixeira de Azevedo, Professor do Departamento de Direito Penal da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP)
• Juarez Tavares, Professor Titular de Direito Penal da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Professor visitante na Universidade de Frankfurt
• Juliano José Breda, Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Paraná

many separated women regret divorcingHave your quarterback or an assistant coach throw the ball to the receiver just as the two players are crossing paths. They had him tied up for the 1993 season and were required to pay fake oakleys him only minimum Wholesale Jerseys wage for a third year player $150,000.. I once posed with a bunch of teenage boys while in Minnie Mouse costume. Most any high heels tends to dress up a pair of denim jeans but the most popular tends to be pumps. Replica ray bans The alteration of human sleep and circadian rhythms during spaceflight. The company Baratas Replicas Ray Ban still is highly profitable at nfl jerseys cheap creating software for these large computers, but they are not seeing revenue growth. Pretty simple.. Hell, it seems like drunk driving alone would push the mortality rate for drinkers through the roof. We have some exciting new fixturing programs and we expect to open cheap oakleys outlet up several new shops at major retailers.. In 1971, Singletary was 12. Major League Baseball attendance in 2014 for regular season non playoff games ranged from 37 million for Los Angeles (Dodgers) to about 1.4 million for Tampa Bay, with a total attendance of 73 million. The lengths of the transected spinal cord stumps will be adjusted so they’re even, and the myelinated axons, the spaghetti like parts of nerve cells, will be fused using a special type of glue made of polyethylene glycol, an inorganic polymer that Canavero says is the procedure’s true magical elixir. EASTERBROOK: Oh, yeah. But if you are naturally flexible you may only need three times a week.. You can check a huge variety of men s suits in popular colors like navy blue, black, charcoal grey, etc stitched by top brands, at these online stores. With cheap nfl jerseys barbells or dumbbells, this may mean squats, deadlifts, lunges, chest presses, rows and military presses. The overall assortment and shop activity was able to drive sales growth in a highly promotional retail environment. And rarely are you more screwed than when your skin takes so much damage that it can’t heal burns induced by fire and chemicals can easily mess us up beyond the point of recovery.. Many of my English friends had never had fresh, hot popcorn before coming to my house.. The Super Bowl defeat caused me to fall into such throes of mourning that I wore Green Bay gear to school every day for at least two weeks after the big game, and I faced the incessant ridicule with as much pride as I could muster.. You pull on the hat, something pops, but the hat shows no signs of damage. A second runner goes to the representatives of the team up next and lets them know who was chosen. In a similar vein, Trump offered sketchy details Wednesday about his latest efforts to wall off his businesses from the appearance of conflict of interest that have dogged him since he won the election and continued to meet with business partners..

Deixe uma resposta

Rolar para o topo